1 de janeiro de 2012

Ano vai, ano vem e o mesmo-se mantém

A maior de todas as insignificâncias é não abrirmos os olhos à verdadeira realidade. De não admitirmos aquilo que vemos como veredicto e teimarmos em crer noutra tal visão bem imaginária. Porque somos assim humanos? Porque somos às vezes tão animais? Porque não sabemos nada e teimamos em saber tudo? Porque que é que tudo é tão simples e sempre complicamos? Deveríamos ser mais "mind free". Sem preconceitos, sem medos e sem fronteiras. Deveria olhar eu, mais para mim. Para muitos cada ano é uma nova etapa, para mim todos os dias são grandes degraus, grandes aventuras! Bom 2012, e que não se esqueçam deste 2011, até porque mesmo estando errado, amar nunca foi pecado.